sexta-feira, setembro 28, 2007


Tem horas em que o chão some,
O ar falta
A chuva escassa
Assim como escassam
memórias dos dias em que os sorrisos eram fartos


Tem dias em que o calor
resseca a pele, a terra e a alma
Tem horas que tudo que clamo é silêncio,
cheiro de chuva e paz

5 comentários:

Anônimo disse...

tudo passa. talvez sirva de consolo:

"nasce o sol e não dura mais que um dia;
depois da luz se segue a noite escura;
em tristes sombras morre a formosura;
com contínuas tristezas, a alegria.

porém, se acaba o sol, por que nascia?
se formosa a luz é, por que não dura?
como a beleza assim se transfigura?
como o gosto da pena assim se fia?

mas no sol e na luz falte a constãncia;
na formosura não se dê constância;
e na alegria sinta-se a tristeza.

começa o mundo enfim pela ignorância;
pois tem qualquer dos bens por natureza;
a firmeza somente na inconstância.

bj

Anônimo disse...

"mas no sol e na luz falte a firmeza"

Outras memórias disse...

Verdade...mas não sei ...depois fica a certeza de que foi inverno...pra depois chegar a primavera! Beijos

Rafa disse...

... a uns 3 anos atrás, no pico de uma montanha cheia de neve ... e com uma sensação de liberdade e paz que me fizeram tão menor q sou... eu imaginei que jamais sentiria de novo aquilo tudo... achei q nada, além do alto de uma montanha, seria capaz de me sentir pertinho do infinito... imaginei q só mesmo estando no alto de uma montanha novamente eu teria o infinito tao perto do coração... acho q eu tinha razão... so nunca pensei q no alto desta montanha poderia reviver td aquilo! Brigada! Mesmo. Beijo, do tamanho dessa paz!

Rafa!

Suzana disse...

Oi, moço.
Bom ver coisas escritas por aqui. Eu ainda existo, embora só no mundo efetivamente real. (É mole isso?? :P)
Mas gostei do que escreveu, e não posso me esquecer de que - véspera de meu enlace nupcial - choveu. E choveu pra caramba.
Ou seja: espero que a chuva - e agora está chovendo bem, depois daquela seca insuportável - espero que a chuva tenha trazido não só as memórias dos dias em que os sorrisos eram fartos, mas todos os sorrisos, todos os dias.
Beijão, e saudades dos papos!